BEIJA-FLORES

 

No chão de relva  macia,

 sentindo a beleza agreste,

 lá vou eu, sempre de dia,

beijar a flor que me deste...

 

Entre a flor e os beija-flores,

que permeiam os espaços,

 há também muitos amores

a "curtir" os seus abraços...

 

Nestes ares perfumados

que a beleza veste em cores,

 veem-se amores espalhados

 mitigando muitas dores...

 

Quanto perfume irradia

deste mágico recanto!

Assim que termina o dia,

 se emudece todo canto.

 

Se a primeira estrela brilha,

eu me ponho a meditar,

e o sol, dourando a rendilha,

 traz encanto ao meu olhar...

 

Este olhar que inda procura

 num chão de relva macia

a flor que ele fez ternura,

juventude, amor, poesia!...

 

 

 

 

 

SOL POENTE

A primeira estrela brilha

na hora do sol declínio,

 vai dourando a rendilha,

  e deixando seu fascínio!

 

É a tarde que emudece;

aves procurando ninho;

assim que o dia fenece ,

   também sigo meu caminho.

 

 Sol  perdendo  energia,

pra buscar novas paragens,

e  formar um novo dia

noutras  belas paisagens.

 

 O poder tem da  Natureza

 não se exalta num poema;

só queria a  grandeza

pra cantar tão belo tema!

 

 

 

 

 

SEM MAIS TEMPO PARA AMAR

 

Horizonte, amor nascendo

com o brilho que me encanta,

   é madrugada rompendo,

logo assim que o galo canta...

 

Quando o amor se faz presente,

lembra um dia clareando;

vida assim, que segue em frente,

tão contente, só amando!

 

Quando o amor é revelado

numa fase mais tardia,

não se vê céu estrelado,

mas escuro, luz sombria...

 

Porque o tempo é tão veloz,

ninguém ouve seu cantar;

deste amor, saudade atroz:

 cadê tempo pra se amar?

 

 

 

CORAÇÃO EM RECESSO

Meu coração, em recesso,

chega enfim à hibernação...

O que faço de concreto

é lhe dar a concessão.

Já lutei muito, confesso,

mas deu tanta confusão!...

Eu admito tal processo

para não "ficar na mão”...

Por ser ele tão esperto,

só não garanto sucesso,

às vezes é sem noção;

contrafeito, não o veto,

pra evitar uma oclusão.

 

Coração nada discreto...

quer chamar logo à atenção;

pra descartar tal excesso,

fiz das tripas coração

e até baixei um decreto:

- Deixa ir logo a solidão!

 

 

 

 

 

TODA MANHÃ ...

 

 Abraço a energia positiva,

faço dela um belo laço,

com atitude mais ativa,

dela eu nunca me desfaço!

 

E num pensamento profundo

eu me livro do cansaço;

respirando sempre fundo,

no calor deste mormaço!

 

Agradeço ao meu bom  Deus

tudo de bom que Ele faz;

ativando os sonhos meus,

num  viver,  que satisfaz!

E num viver que  satisfaz

vou buscando a alegria,

mesmo que tudo não me apraz,

tenho em Cristo,  companhia!

 

 

 

 

 

     O TEMPO


Debruço-me à janela de outro tempo...
na face, ainda as marcas e a ferida.
Expondo-me ao soprar do contratempo,
esqueço-me da hora e da partida.

 

O vento não me traz nenhum relato
das dores que inda marcam minha alma,
nem mesmo apaga o resto do retrato,
para que eu fique enfim um pouco calma.

 

Contanto, me distrai a fantasia;
chegando rota e já esfumaçada,
solfeja um canto de melancolia
por entre a vã cortina desfiada...

 

O tempo passa, nunca em mim se arrasta;
segue veloz, tão rápido, implacável,
que nem me enxerga e, lépido, se afasta,
ventando rumo ao fim, o inevitável...

 

 

 

 

 

VIVER SÓ

 

Viver só é solidão?

Não, é canto à liberdade!

Quem tem Deus no coração,

nunca se prende à saudade.

 

Neste mundo de meu Deus,

vivo só, não tenho medo,

tenho todos os meus eus,

eis aqui o meu segredo...

 

Vivendo só, por opção,

pra quem teve casa cheia,

não ferindo o coração,

sua casa, nova “aldeia”.

 

 Ocupando todo o espaço

com amor, com afeição,

 sem perder-se no embaraço,

pra viver na contra-mão!

 

 

 

 

 

 

 

         

 

 

 

Designs & Graphics by Rose Mori
Tag by Rita Rocha
Copyright ©2020 - Todos os Direitos Reservados
Publicado em 24/04/2020