Gostaria de poder trocar
O brilho das estrelas que agora vejo
Por teu olhar bem próximo a mim.


Trocar o vento que através da janela entra
Por teu hálito me dizendo
Tantas coisas que preciso ouvir.


Os relampejos que em flashes
No horizonte estrugem,
Por teu coração palpitando assim!


Hoje sinto ausência de você,
Necessidade de me sentir amado,
Importante para alguém,
Não simplesmente desejado.


Um encontro entre almas,
Algo que transcenda a terra,
Que persiga meu espírito
Até a mais distante galáxia.


E lá, reluzente em risos
Percebendo-me à espera,
Aproximar-se, abraçar-me,

Olhar-me fundo os olhos

E silenciosa, dizer tudo...


Queria perceber só no olhar
O quanto sou importante
Por meramente existir.


Ser princípio, meio sem fim,
Não ser uma metade,
Mas a inteira parte de um todo.


Hoje sinto ausência de você,
Necessidade de me sentir amado,
Sinto falta de ser necessário
De fazer um coração sorrir.


De ter mãos sedosas em minha face
Desenhando os contornos do meu rosto,
Brincando com minhas sobrancelhas
Olhos, nariz, boca...


E após concluir o queixo,
Passando o indicador em riste,
Finalizar dizendo:
- Está pronto!


Como se escultora fosse,
Concluindo tua obra,
E guardando teu trabalho com amor,
Com todas as essências pertinentes,
Com todos os cuidados devidos,
Bradando ao vento sua criação.


Não quero abrir a porta
E sair feito louco,
Perguntando a todas as mulheres
Que cruzarem meu caminho
Se este alguém é você.


Queria inadvertidamente,
Sentir a presença de uma força
Enigmática cruzando nossos olhares
Trazendo-nos descobertas...


Queria que a magia do destino
Nos fizesse próximos,
E sem questionamentos íntimos
Viesse à certeza de sermos prometidos.


Que a paixão do momento
Fosse sublimada em amor,
Sem inseguranças mesquinhas,
Desarmonias, intrigas, discórdias,
Extremos exageros enfim...


Hoje sinto ausência de você,
Necessidade de me sentir amado...


E vou dormir sob o brilho das estrelas
Que ainda vejo,
Com o vento que pela janela ainda se faz,
Com tua ausência insistente,
Sem teu amor poder sentir...


Só se foram os relampejos,
Pois as nuvens se dissiparam,
Apenas isto mudou!

 

 

 

 

               

 

 

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

Copyright 2011 – Direitos Reservados

Publicado em  07/07/2012