Voa, alma destemida!

 

Voa livre pelo céu da vida,

 

Sem rumo, sem destino, ao léu.

 

Voa como um pássaro, em crescentes espirais,

 

Voa alto, bem alto, ao sabor das termais.

 

Voa, mas voa rápida como uma flecha,

 

Rompa as barreiras do espaço-tempo,

 

E nem só por um momento,

 

Te quedes, hesites ou olhes para trás.

 

Voa, alma inquieta!

 

Rasga as barreiras de meu peito

 

E dele extrai meu coração e sonhos,

 

Voa e leva para sempre contigo,

 

de minha face o sorriso contido,

 

tímido, por vezes sem jeito...

 

Voa, alma minha, voa!

 

Fuja e leva contigo estas lágrimas

 

Que assomam em meus olhos tristonhos,

 

Voa célere em busca de meu destino,

 

Deixa para trás a alma do homem,

 

Leva contigo esta alma de menino.


                Voa, alma apaixonada!

 

Percorra lépida todo o universo,

 

Por todo canto cante meu canto,

 

Por toda parte recite meus versos,

 

Em busca do ser amado,

 

Que cessará de vez o infindo pranto.

 

E quando por fim a encontrares,

 

Alma buscante, alma de menino,

 

Entrega-te junto com meus devaneios,

 

Acolha-a em teu colo, aninhe-a  em teus seios,
 
                Dispa-te  de tuas vestes, abra tua túnica,

 

E cumpra teu destino:

 

Busca sua alma e com ela se faça única!!!

 

 

 

 

           

       

         

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

© Direitos Reservados

Publicado em 07/08/2015