Só, simplesmente só

Vejo-me outra vez sem rumo,
te olho nos olhos e sinto a tua boca.
O sol nasce no vazio,
a lua morre no vácuo do meu ser.
Sigo teus passos sem te ver
e não sei o teu caminho.

Solto-me num beijo na face
e meu corpo abraça o teu a sós comigo.
Perto de ti, sofro por não te tocar
e na distância por saber que ainda existes,
não em matéria pelo mundo,
mas em aura, no meu ser.

São vários os caminhos,
dou as costas e oponho-me ao rumo.
Peço, então, que esta força me abandone
e, ao mesmo tempo prendo-a dentro de mim.
Sigo só, ferida e feliz, por ser gostoso
o sentimento de amar alguém.
E eu te amo!

(RJ. dez./2014)

Soneto sem nome

Me falaram do amor e sua beleza,
da harmonia do natural,
da grandeza do simples,
do sem graça e do banal.

Me falaram dos sentimentos:
alegres, tristes, felizes,
da emoção dos momentos,
e acreditar em crendices...

Me jogaram ditados antigos,
de passados e antepassados,
fizeram um labirinto de artigos.

Me falaram do bem e do mal,
mas esqueceram de me ensinar:
"O que é principal."

(RJ. dez./2014)

Pedido de paz

Deixa a Paz começar por ti,
germinar como um grão fecundo porque ela
tem necessidade do húmus do teu coração.

Deixa a Paz começar por ti,
pelo sorriso dos teus olhos
como sementes de um amor novo.

Deixa a Paz começar por ti,
para fazer brotar as flores da esperança
que se ramificarão pelo mundo inteiro.

Deixa a Paz começar por ti,
brotar dos teus lábios
como uma porta que abre à fraternidade.

Deixa a Paz começar por ti,
para que o teu olhar se torne um abrigo
contra a solidão de teu irmão.

Deixa a Paz começar por ti,
como onda de calor que invade o mundo
e gela o silêncio da indiferença.

Deixa a Paz começar por ti,
como um buquê de rosas para que ninguém
seja capaz de fazê-la murchar.

(RJ - dez/2014)

Doce retorno

Agora, estou vivendo o dia-a-dia
sentindo a presença do Senhor,
a tristeza que ontem me abatia
tem hoje, outra escala de valor.

O encontro com o Senhor foi bem forte
e me provou que sou amada para valer,
essa certeza transformou a minha sorte
dando nova dimensão ao meu viver.

Se antes, por tão pouco ficava triste
e procurava sem saber o que buscar,
com Ele conheci o bem que existe
e em Seu amor, na paz vou me abrigar.

Eu O contemplo em oração,
amando-O e me deixando amar
e em doce contemplação,
vou retornando devagar.

(RJ. Dez/2014)



 

 

Cantinho dos Amigos Index Assine o Livro de Visitas