ALMA DESAPAIXONADA

 

                                 Rose Mori

 

 

Há um grande vazio dentro do peito.

A alma errante e irreverente cansou-se

de alçar vôo pelos campos da ilusão

e quedou-se num canto qualquer

do espaço do tempo sem tempo,

onde não há claridade e nem sombras;

apenas uma leve penumbra

que deixa entrever

lembranças desordenadas, confusas...

Imagens distorcidas esvoaçando

como tênue fumaça,

se dissolvem lentamente no ar...

Ao redor, tudo adquire uma tonalidade gris.

A lua se escondeu entre as nuvens,

o vento não acaricia: açoita!

O sol não beija a pele: queima!

E nem mesmo os pingos da chuva

ressoam como melodia...

São lágrimas vertidas pela natureza

que chora de tristeza ao contemplar

esta alma em desalento.

Pobre alma desapaixonada!

 

 

 

 

 

 

LÁGRIMAS DE MINHA ALMA

 

 

Rosi Marques

 

 

 

Foram-se os sonhos...

atrelados ás esperanças e pesadelos,

tudo passou ao acaso do tempo

em ensejos repetidos pela dor...

 

Alma disposta a crescer...foi tão exposta,

enquanto amava por encanto,

viveu a solidão em um canto...

Hoje, aguarda a luz em prantos...

 

Alma emudecida pela dor que sentiu...

hoje...entorpecida só chora,

aguarda a hora para ir embora....

 

Vive sem pressa...sem em si pensar

E agora...como apagar o tempo que há de passar,

 são lágrimas de minha alma a jorrar...

 

Sabendo que não sou só matéria...

prantos cessam, quando estão por Ele a rogar

Talvez, lágrimas de minha alma, 

seja eu pedindo para Deus me abençoar!

 

 

 

 

 

 

Musica: Papillon - Secret Garden

 

 

 

REFLEXÕES     CANTINHO DO POETA     HOME

 

 

Envie esta mensagem cliquando aqui

 

 

 

 

Website & Designs by Rose Mori

Graphics from Brisa Disegnos

Copyright © 2008 - Todos os direitos reservados

Publicada em 28/12/2008