Alma solitária

que vagueia pelo espaço

como um pássaro ferido,

procurando um lugar seguro

para pousar...

repousar...

se refazer...

e recuperar as forças...

 

Por que te cativa a tristeza

e trazes retida no peito

tamanha melancolia?

Por que essa vontade louca de chorar?

Por que o desejo de liberdade?

De onde vem tanta saudade?

E essa ansiedade?

Por que te atrai o amor incerto,

que tanto sofrer te causa,

tal qual as mariposas

que dançam em torno da luz,

mesmo com o risco de terem queimadas

suas frágeis asas?

 

Alma solitária,

inquieta e rebelde

responda:

o que buscas, afinal?

 

Buscas encontrar tua própria essência

que se perdeu de ti

na passagem do tempo?

 

Inútil é tua busca, alma querida,

Pois as páginas da vida

Só podem ser lidas uma única vez.

 

 

 

 

 

 

 

 

         

 

 

 

 

 

 

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

Copyright 2011 – Direitos Reservados

Publicado em  17/07/2011