Hoje, escrevo apenas por escrever,

por não ter o que dizer

e porque meus sonhos

são difíceis de serem  imaginados,

e não devem, simplesmente,

serem colocados num papel

que o tempo, com certeza,

se encarregará de envelhecer...

Também não devem ser lidos

por quem não entende de coração,

de sentimentos, nem de poesia.

Meus sonhos não podem se prender a nada.

Devem ir além... muito além...

Buscar  sua alma gêmea

e  com ela fazer par pelo infinito afora...

Volitarem  entre as estrelas,

trazendo no olhar o brilho que não fenece.

 

Hoje, escrevo por escrever,

simplesmente porque ,

num átimo de egoísmo,

não quero compartilhar

os sentimentos abrigados em meu coração.

São preciosos demais

e tenho medo de que alguém se apodere deles

apenas pelo prazer da posse,

pois meu coração que os guarda,

ainda possui a ingenuidade e a crença no melhor...

Hoje, escrevo apenas por escrever,

Tento não deixar transparecer,

em nenhum momento,

em nenhuma linha,

o amor e a saudade, senhores absolutos,

de toda minha existência.

 

 

 

 

         

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

Copyright 2011 – Direitos Reservados

Baseado na Tag Experimental de Sonia Salete

Publicado em  08/07/2012