E ele foi chegando...

com um olhar de menino

pedindo carinho...

Aproveitou que a porta,

por um descuido meu,

estava entreaberta e foi entrando

Sorrateiro...

Silencioso...

Traiçoeiro...

E se instalou, comodamente,

como se tudo ali lhe pertencesse.

Tomou posse e ficou

sem licença para ficar.

E nada pude fazer...

nada quis fazer...

Era tão bom ter alguém ali

depois de tanto tempo só.

Entrou derrubando tudo:

minhas barreiras, minhas reservas,

meus pudores,

meus valores,

meu senso e contra-senso

Desarrumou tudo por mero capricho

e modificou de tal forma

que não me encontro mais...

E, pior,

está saindo agora

deixando toda a bagunça pra trás!

 

 

 

 

 

Música: Ode to simplicity - Secret Garden

 

 

 

 

       

 

 

 

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

 Todos os direitos reservados

Publicado em 02/06/2015