Ah, coração inquieto e aventureiro!

Quisera poder entender

esta tua louca persistência

em buscar as águas turbulentas e perigosas

de corações traiçoeiros...

Persegues sonhos que há muito

se desvaneceram no tempo...

Acalentas ainda a esperança

de um dia encontrar um coração

que te queira...

que te dê abrigo...

que te dê afeto...

Pareces uma criança

carente e iludida

que ainda acredita...

que ainda espera...

No entanto,

não passas de um velho coração

cheio de cicatrizes

deixadas pelas inúmeras vezes

em que te entregaste confiante

a quem não soube te compreender.

Pobre coração!

Tão sofrido, tão maltratado

e ainda não perdeu a esperança

de um dia poder repousar,

tranquilamente,

nos braços da felicidade.

 

 

 

 

          

 

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

Copyright 2011 – Direitos Reservados

Publicado em  28/03/2012