Por que partir, amor de minha vida,

se ainda há tanto o que compartilhar;

se de meus braços

ainda não se findaram os abraços;

se de meus lábios

ainda não te dei todos os beijos?

 

Por que partir agora, vida minha,

se a taça ainda não se esgotou;

e se ainda há tantos sonhos?

Se nossos olhos

ainda não contemplaram

as estrelas mais bonitas do firmamento;

se ainda há muitas manhãs claras,

entardeceres de cores profusas e brilhantes?

 

Por que partir, meu amor,

se não colhemos do jardim todas as flores;

se não sorrimos todos os risos

se não choramos todas as lágrimas;

se não satisfizemos todos os desejos

 e se ainda há tanta doçura nas palavras,

e tanta ternura no olhar?

 

Não se vá ainda...

Há tanto o que se fazer ... e refazer...

Deixe que a esperança parta primeiro

e fique...

ao  menos até que a solidão se acomode

e retome seu lugar em minha vida...

 

E quando se for,

saia sorrateiro, no fim da madrugada,

quando eu ainda estiver dormindo...

Assim, ao despertar, terei a impressão

de que a nossa história

não passou de um lindo sonho de amor...

 

 

 

 

 

     

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

© Direitos Reservados

Publicado em  16/01/2016

 

   Não se vá - Rose Mori