E de repente, do nada,

vem aquela vontade louca de escrever...

Escrever o que? Sobre o que?

Sobre tudo e sobre nada...

simplesmente deixar a pena correr...

Subitamente, num impulso,

como se tomada de vida própria,

a caneta desliza sobre o papel e escreve sua história.

Sorrisos, lágrimas, dor, alegria, chegadas e partidas

tudo se mistura num só espaço

como uma trama bem urdida.

E a pena corre veloz, como se o tempo fosse seu inimigo,

e já não lhe deixasse espaço para compor...

louca, desesperada, tropeça nas palavras

e não encontra a rima que lhe agrada,

mas continua... sem esmorecer...

Por fim, descansa, extenuada,

 ao lado da folha agora rabiscada

Eis que nasce um poema..

 

 

 

 

 

 

         

 

 

                                       

 

 

 

 

Art by Rita Rocha
Tutorial Estela Fonseca
Website by Rose Mori

© Todos os Direitos Reservados

Publicado em 26/07/2015