Parte I

 

O ENCONTRO

 

Eis que nossos olhos se cruzaram

penetrando no mais profundo âmago

de cada um...

E a vida comemorou esse encontro

explodindo em mil fagulhas

que se dissolveram lentamente no espaço...

Foi um momento mágico!

Único!

Eterno!

Podíamos sentir

nossos corações pulsando em sintonia,

como se a executar uma melodia

que só o amor pode ouvir...

e entender...

Nossas almas e nossos corpos carentes

se fundiram

saciando a fome e a sede

que tínhamos acumulado durante

o tempo da espera.

E finalmente fomos felizes!

Mas não para sempre...

não ainda...

 

 

Parte II

A PARTIDA

 

Chegamos a nos esbarrar nesta vida,

e por um fragmento do tempo,

voltamos a usufruir do amor

que sempre nos ligou.

Mas foi apenas um breve reencontro...

E assim, como um dia nos encontramos,

de repente,

a vida, o mundo, o destino...

sei lá...(incógnita)

resolveu, também de repente,

distanciar nossos caminhos.

Tu seguiste rumos desconhecidos.

Quanto a mim,

Fui levada pela vida  a assumir

papéis nos quais não me reconhecia.

Amores eu tive,

que julgava verdadeiros,

mas à primeira sombra se desvaneciam

como se nunca houvessem existido.

Muitas vezes senti o coração acelerar

quando, na trajetória de um olhar,

julgava reconhecer o teu.

Mas a ilusão logo se dissipava

e de tudo só restava

a dor de uma saudade imensa.

Saudade, esta,

que me acompanha até hoje

e há de morrer comigo!

 

 

 

Parte III

ESPERANÇA

 

Embora debalde tenha te buscado

em todos os cantos do mundo,

persiste em mim,

  agonizante,

este sentimento que cultivo

e procuro manter vivo

dentro do peito.

E se um dia se  realizar o seu intento,

banirei do peito a tristeza...

o desencanto...

a malfadada saudade...

Limparei as frestas onde se acumulou

toda a poeira do tempo

que passei à tua espera,

Rasgarei os pergaminhos

que escrevi em dias e noites solitários,

acompanhada apenas deste imenso  amor

e da esperança de te reencontrar,

porque não fará mais sentido

o que ali está escrito.

Lavarei a alma

e  perfumarei o corpo

e hás de me encontrar pura,

como da primeira vez que me viste,

porque a essência que te pertence

jamais foi corrompida,

mesmo que a vida tenha tentado.

Mas, por favor, não demora;

 como te disse, no início,

até mesmo a esperança

está agonizante dentro de mim

e tenho medo que não chegues em tempo

e eu tenha que esperar um outro ciclo

para te reencontrar e,

finalmente,

ser feliz!

 

 

 

 

 

         

 

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

Copyright 2011 – Direitos Reservados

Publicado em 05/11/2011