REFLEXÃO DE PÁSCOA

 

                                                         (Rose Mori)

 

Há muitos anos atrás, numa noite de céu claro e límpido, repleto de estrelas reluzentes,

nascia JESUS - O Salvador –

O Messias tão esperado e prometido.

Só que o mundo não entendeu o porque d'Ele, o filho de Deus,  Rei do Universo,

nascer tão pobre e em berço de família até então desconhecida.

Certo é que, se Ele tivesse nascido de família nobre, teria sido honrado, não teria

tido problemas com a sociedade, teria sido muito mais e melhor ouvido e, talvez,

nem precisasse ser crucificado, porque a humanidade é assim mesmo.

 Mas Deus O queria pobre pois a riqueza possivelmente

O teria tornado um homem vaidoso e soberbo. E, além de tudo, Deus O queria morto

para que a   humanidade fosse salva de seus pecados.

Quanta ingenuidade de Deus, acreditar que o mundo pudesse ainda ser salvo.

Mas Ele é pai e, como todo pai, quis dar uma chance a seus filhos.

E assim, nasceu Jesus: pobre como os nossos sentimentos...

E cresceu Jesus, assim como crescem em nós, a cada dia, a desconfiança, o ódio

a falta de respeito pelos nossos semelhantes...

E cresceu Jesus, assim como cresce a nossa vaidade, o nosso desamor e o desejo

desmedido pelo poder sem medir conseqüências...

E cresceu Jesus, assim como crescem as guerras, as desuniões, a deslealdade,

a carência de alimento e de afeto...

E cresceu Jesus, assim como crescem os crimes, as crianças abandonadas, a

prostituição, a corrupção e o medo cada vez maior de um futuro desconhecido...

E Jesus pregou o bem ao mundo, assim como pregamos nossa própria imagem...

E Jesus pregou o AMOR com a mesma fé e convicção com que pregamos o racismo,

as divisões sociais e culturais, camuflados por palavras que não expressam a dura verdade.

E um dia morreu Jesus, assim como morrem, a cada dia, dentro de nós, o desejo

de reconstruir alguma coisa, tão desiludidos ficamos de nós mesmos...

Morreu Jesus,

como morrem a esperança e a vontade de lutar por um mundo melhor.

Mas Jesus ressuscitou, elevou-se aos céus e, sentado à direita do Pai espera,

pacientemente, que seus filhos compreendam e acordem, também, para uma vida plena de felicidade,

que somente cada um   pode realizar,

a partir de uma mudança interior.

 

SERÁ VÃ A SUA ESPERA?

 

Só você pode responder.

 

F E L I Z    P Á S C O A!

 

 

 

 

 

Voltar

 

 

Poemas    *   Cantinho do Poeta   *    Home

 

 

Envie esta página clicando aqui

 

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

Copyright © 2009 - Todos os direitos reservados

Publicado em 03/04/2009