Estamos a poucos dias de comemorarmos

a data que deveria ser o maior acontecimento dos tempos:

o nascimento de Jesus, o Messias Salvador.

Há, porém, uma tristeza indelével pairando no ar.

Pessoas caminham pelas ruas,

preocupadas com os presentes que vão dar

aos filhos, pais, parentes ou amigos

ou com a própria vestimenta que irão usar

na Noite Santa...

Outros, porém existem,

que sofrem nesse dia a perda irreparável de entes queridos

que não estarão presentes às comemorações;

se esquecem de que a vida é eterna

e que só morremos realmente,

quando deixamos de acreditar em nossos sonhos.

Alguns sentem por estarem longe

de seus filhos, pais ou irmãos  que estão distantes.

E há, ainda,  aqueles que sofrem

por não terem condições financeiras

de dar aos filhos o tão esperado

presente de “Papai Noel”

e talvez nem mesmo tenham  dinheiro

para comprar  um pão

pra colocar à mesa na ceia de Natal.

E o verdadeiro sentido desta data, onde fica?

Jesus não veio ao mundo para que

Seu nascimento fosse comemorado

com comes e bebes e presentes.

Jesus veio ao mundo para que nossa percepção

 de vida ganhasse

um novo sentido de esperança.

Veio nos ensinar a deixar de lado nosso egoísmo;

veio nos ensinar o amor ao próximo,

mas não aquele amor que só ama

aos que realmente estão próximos a nós; isso é fácil!

 

 

 

"Pois se vocês amam somente aqueles que os amam,

que recompensa vocês terão? “- (Mt.5,46)

 

 

 

Jesus veio nos ensinar que devemos

estender nossa visão para além

daquilo que conseguimos enxergar.

E existe muito, muito mesmo o que se ver.

 

Existem pessoas que se preocupam demais

com coisas que, vistas pelo prisma espiritual,

não têm qualquer importância.

Jesus veio pregar o amor, a compreensão,

o desapego, a caridade e a solidariedade.

Amor que deve se estender a todos os seres vivos.

Desapego aos bens materiais,

porque ao nascer não trazemos nada nas mãos,

a não ser o desejo de aprender e crescer espiritualmente;

 ao partir levamos apenas as nossas experiências de vida.

 

Solidariedade e caridade para com o irmão

necessitado do pão para seu corpo sim,

mas muito mais do pão para sua alma.

E essa solidariedade e caridade,

não devem ser praticadas apenas no decorrer

das festividades de Natal e Ano Novo.

Devem ser postas em prática no cotidiano de cada um,

assim como o Mestre nos ensinou.

 

Existem pessoas

que se confraternizam nesta época do ano,

se perdoam mutuamente as ofensas trocadas,

apertam-se as mãos, se abraçam, cantam,

bebem e riem juntos,

mas,  findas as festividades,

se esquecem de seus propósitos de mudança,

e cada qual retoma sua vida,

visando apenas os próprios interesses,

deixando que o egoísmo prevaleça

sobre o sentimento de amor fraterno.

 

O Natal é uma data bonita que deve ser comemorada

com alegria, com amor e fé.

Jesus nasceu com o objetivo claro e único

de dar a vida por nós, para nos salvar.

Vamos procurar mostrar a Ele

que seu sacrifício não foi em vão.

 

Pense nisto:

vamos procurar fazer deste Natal

não apenas mais uma data em que trocaremos presentes,

e faremos a ceia natalina junto à família

mas, sim,

uma data de renovação de nossos propósitos de vida

e de renascimento interior.

E vamos levar esses propósitos a sério,

cumprindo-os rigorosamente,

não só no decorrer do ano que se aproxima,

mas pelo resto de nossas vidas.

Quem sabe, cada um fazendo a sua parte,

o mundo se torne um lugar melhor para se viver.

 

 

O tempo está se escoando

mas ainda não é tarde demais.

Façamos da esperança o lenitivo;

da fé o alicerce;

dos pensamentos o impulso;

das ações um fato concreto

e da paz uma realidade.

 

 

 

 

 

 

 

         

 

 

 

 

 

Website, Designs & Graphics by Rose Mori

© Direitos Reservados

Publicado em  2008